Sem categoria

Precoce MS avança com abate de 1,3 milhão de cabeças e incentivo de quase R$ 117 milhões aos produtores

O Programa Precoce/MS que busca valorizar a produção de animais com qualidade de carcaça superior e uso de boas práticas agropecuárias, fechou 2023 com aumento no volume de gado abatido e ganhos de eficiência na pecuária estadual. No ano passado, segundo dados da Coordenação de Pecuária da Semadesc (Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento, Ciência, Tecnologia e Inovação) o abate dentro do programa ficou em 1.395.610 animais, com 46.923 bovinos a mais em relação a 2022, ou alta de 3,4%.

O total de bovinos abatidos em todo o ano passado ficou em 3.523.827 reses, sendo 3.452.310 cabeças processadas em frigorífico dentro do MS. Considerado o número de animais abatidos no Programa, o índice de abate de precoces ficou em 40,4% deste montante.

Já os produtores rurais tiveram quase R$ 117 milhões de incentivos pagos no ano passado. O Precoce MS conta hoje com 969 profissionais responsáveis técnicos habilitados; 3.557 estabelecimentos rurais cadastrados e 26 frigoríficos credenciados.

Mudanças

Recentemente o Precoce MS passou por um processo de modernização e agora dispõe de novas regras de funcionamento, estabelecidas e publicadas na Resolução Conjunta Sefaz/Semadesc nº 90, de 13 de dezembro de 2023.

Segundo a gestora do programa, Gladys Espíndola, a partir de agora, para efeitos do cálculo para o pagamento do incentivo do animal precoce abatido, será feita uma valorização diferenciada, de forma que: 50% do valor do incentivo seja resultante do impacto da dimensão processo produtivo (estabelecimento rural); e 50% do valor em relação ao impacto da dimensão do produto obtido.

Ela acrescenta que com a modernização do programa, será feita a implantação de protocolos de produção nos estabelecimentos rurais envolvidos. “Neste processo será ampliado o papel das Organizações Associativas credenciadas pela Semadesc que realizarão os trabalhos de verificação e validação do nível do sistema produtivo dos estabelecimentos cadastrados no Precoce/MS”, explicou.

De acordo com o secretário da Semadesc, Jaime Verruck, o programa faz parte das políticas públicas do Governo e, graças ao seu apoio, vem registrando avanços consecutivos de desempenho na busca por uma pecuária de sustentabilidade e engajamento da classe pecuária.

“O resultado aponta o comprometimento dos produtores com o programa, e a constante modernização que o Governo busca em se tornar um Estado Carbono Neutro. Fizemos adaptações no Precoce MS para ter cada vez mais qualidade de carcaça, em menor tempo e dando mais apoio a quem utiliza técnicas modernas e sustentáveis”, salientou.

Rosana Siqueira, Semadesc
Foto: Arquivo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *