Perigo dos alimentos ultraprocessados – Quais os males para a saúde?

Grande parte dos alimentos nos dias de hoje recebem algum tipo de processamento, isto é, passar por métodos que conservem os alimentos por mais tempo, os deixem comestíveis e garantam a segurança alimentar. Isso ocorre porque, em muitos casos, o processamento é vital para que o alimento não intoxique a pessoa que o consumir.

Um exemplo muito claro é o palmito, que é conservado em salmoura acidificada (pH abaixo de 4,5) e recebe conservantes, além de ser esterilizado a uma temperatura de 121ºC, tudo para que sejam eliminados os esporos da bactéria Clostridium botulinum. Esse processo é essencial para evitar que essa bactéria se desenvolva e produza uma substância denominada neurotoxina que, se não tratada rapidamente, pode ser mortal.

riscos alimentos processados

O que são alimentos ultraprocessados

O avanço da tecnologia proporcionou que a indústria investisse cada vez mais em alimentos processados, que são aqueles que recebem a adição de substâncias conservantes corantes, estabilizantes e outros elementos que dão aroma e sabor aos alimentos tornando-os mais duradouros, ou seja, para que eles não estraguem facilmente. Há vários exemplos que podem ser citados, tais como: enlatados como milho, ervilha, sardinha, atum, alimentos defumados, compotas de frutas e alimentos em conserva.

Alimentos frescos são apenas aqueles obtidos de forma direta de plantas ou animais, como verduras, legumes, carnes, leite e ovos. A partir daí, praticamente todo e qualquer alimento recebe algum tipo de processamento, mínimo que seja, para ser comercializado, barateando o custo da produção e possibilitando o ganho financeiro com a fabricação em larga escala.

A diferença está justamente no quanto o alimento recebe de substâncias para se manter palatável ao consumidor.De acordo com o Guia Alimentar Brasileiro, a “limpeza, remoção de partes não comestíveis, secagem, embalagem, pasteurização, resfriamento, congelamento, moagem e fermentação” são exemplos de processos que fazem os alimentos in naturas e transformarem em minimamente processados. Mas neste caso não são acrescentados sais, açúcares, óleos, gorduras ou outros itens.

Já os alimentos ultraprocessados são totalmente industrializados e possuem um percentual de alimento muito pequeno, ao mesmo tempo em que carregam muitas substâncias prejudiciais ao nosso corpo.

Quais são alimentos processados

  •  Sorvetes,
  • Biscoitos recheados,
  • Pizzas,
  • Misturas de bolo,
  • Refrigerantes,
  • Temperos instantâneos,
  • Embutidos,
  • Congelados,
  • Refrescos em pó,
  • Margarinas,
  • Iogurtes industrializados,
  • Achocolatados,
  • Macarrão instantâneo, entre outros.

Riscos dos alimentos ultraprocessados para a saúde

A maioria contém altos níveis de açúcar e de conservantes, podendo afetar a sua dieta diária e, posteriormente, a sua própria saúde. Já falamos aqui como baixar o nível de açúcar no sangue. 

Outra característica dos alimentos ultraprocessados é que eles possuem altos índices de elementos químicos, além de serem pobres de nutrientes como minerais, fibras, vitaminas e água, importantes para o nosso organismo. Isso faz com que não ingiramos elementos saudáveis, nos tornando mais suscetíveis às chamadas doenças crônicas não transmissíveis.

Um exemplo disso é o acidulante presente em muitos ultraprocessados (veja a diferença entre açúcar e adoçante). Ele pode causar a descalcificação dos dentes e ossos. Outras substâncias podem afetar o aparelho digestivo e provocar alergias, ocasionando problemas no estômago e no intestino.

alimentos processados riscos

Os alimentos ultraprocessados oferecem outros riscos para a saúde humana, pois eles contêm índices elevados de colesterol, sódio, cálcio, ferro e calorias. Isso ocorre porque os alimentos ultraprocessados passam por um processo em que são retirados todos os nutrientes, ficando apenas as calorias. Exemplo desse tipo de processo está nos embutidos, como a mortadela, o presunto, a salsicha e o salame, que no processamento acabam perdendo as proteínas adequadas, ficando apenas a gordura em sua composição.

Com tudo isso que ocorre no processamento desse tipo de alimento, as pessoas que consomem regularmente tais produtos têm mais chance de desenvolverem diabetes, principalmente pela quantidade excessiva de açúcar que eles carregam.

Além disso, as pessoas ficam mais vulneráveis ao sobrepeso e à obesidade, já que consomem mais substâncias aditivas. Por sua vez, a alta concentração de sódio pode levar à hipertensão arterial, enquanto que o colesterol ruim oferecido pelos ultraprocessados pode causar problemas cardíacos ao longo do tempo.

É por isso que a recomendação cada vez mais enfática de médicos e especialistas é para que os consumidores prefiram alimentos frescos e minimamente processados e que, com isso, se invista mais tempo cozinhando os alimentos que for ingerir ao invés de ceder à tentação de comer algo pronto, saboroso, mas pobre de nutrientes e que fará mal à sua saúde. O seu corpo agradece.

Referências usadas neste conteúdo

MINISTÉRIO DA SAÚDE (2014). Guia alimentar para a população brasileira. Disponível em <http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/guia_alimentar_populacao_brasileira_2ed.pdf>

BBC BRASIL (2018). Qualidade dos alimentos processados no Brasil é pior que em outros países, diz nutricionista anti-dietas. Disponível em <https://www.bbc.com/portuguese/brasil-44801679>

REVISTA CIENTÍFICAS DE AMÉRICA LATINA Y EL CARIBE, ESPAÑA Y PORTUGAL. Alimentos ultraprocessados

e perfil nutricional da dieta no Brasil. Disponível em <http://www.redalyc.org/html/672/67240213032/>

Ajude a melhor ainda mais o site, avalie:

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (2 votes, average: 4,00 out of 5)
Loading...

Leave a Reply