Gordura no fígado: o que é, cuidados necessários e complicações.

É natural que se tenha um pouco de gordura no fígado, geralmente essa taxa é de 5 e 10% do seu peso.

A esteatose hepática, ou popularmente conhecida como gordura no fígado, ocorre quando há um aumento dessa taxa de gordura. Não apresenta sintomas e não é considerada grave em seus estágios iniciais, o que leva à sua descoberta principalmente é, em exames laboratoriais de rotina.

Quando acontece?

Gordura no fígado: o que é, cuidados necessários e complicações.

A doença se manifesta principalmente em pessoas obesas e diabéticas, mas também podem ocorrer em outras pessoas, sendo aquelas que não praticam exercícios físicos regularmente e que se alimentam mal, são mais sujeitos a esta condição.

O acumulo de gordura no fígado tem cura, e seu tratamento nos estágios iniciais é feito principalmente com mudanças na dieta, controle de peso, de diabetes, hipertensão e colesterol alto, além da prática regular de exercícios físicos, e também pequena mudanças simples de hábitos.

Mudanças para diminuir o problema

A principal dieta recomendável para evitar o aumento do acumulo de gordura no fígado consiste em:

  • Beber muita água entre as refeições;
  • Preferir sempre alimentos saudáveis, como frutas, legumes, carnes brancas grelhadas e verduras;
  • Reduzir a quantidade de azeite e comer alimentos ricos em fibras, como grãos de linhaça, chia e aveia por exemplo.

Ao mesmo tempo, recomenda-se evitar ao máximo:

  • Fumar;
  • O consumo de alimentos ricos em gorduras e açúcares, carnes vermelhas com gordura, queijos amarelos, requeijão, chocolate, biscoitos amanteigados e recheados, frituras em geral, embutidos, bacon, maionese, manteiga, margarina e condimentos como a maionese;
  • O consumo de bebidas alcoólicas, pois com o uso excessivo de álcool, o fígado fica debilitado e deixa de exercer sua função, causando a esteatose hepática.

Evitando o consumo destes produtos não significa que estará imune totalmente ao problema, porém, evitará que ela piore e provoque outras complicações como as já citadas acima.

Outras causas da doença

Gordura no fígado: o que é, cuidados necessários e complicações.

Vale lembrar que a esteatose hepática não é só causada por má alimentação. Outros fatores podem ocasionar a doença, ou seja, não somente pessoas com obesidade e sobrepeso, diabéticas podem ser afetadas. Que são:

  • Jejuns prolongados;
  • Colesterol ou triglicerídeos altos;
  • Hepatite C crônica;
  • Resistência à insulina;
  • Diabetes tipo 2;
  • Pessoas que fazem uso de medicamentos com estrógeno;
  • Alteração rápida de peso;
  • Irritação ou inflamação hepática devido outras doenças;
  • Consumo excessivo de álcool.

O uso de medicamentos como Betametasona, Ciclesonida, Estrogênios como já citado, Amiodarona, Glicocorticoides, entre outros, pode ocasionar o problema, assim como situações de derivação jejunal em pós-operatórios.

Níveis da doença

Vamos aos níveis de Esteatose hepática – Grau 1, 2 e 3.

Grau 1

É considerado leve e não costuma causar sintomas aparente, e ou qualquer consequência no corpo. Os níveis de gordura está pouco acima do ideal. Diminuir esse níveis para o normal, não é difícil e poder ser conquistado através de uma alimentação saudável, acompanhada de exercícios físicos.

Grau 2

De nível moderado, entre seus principais sintomas encontram-se a perda de apetite, fezes de coloração clara, cansaço frequente, barriga inchada, enjoos e vômito, coloração amarelada dos olhos e da pele, além de dores de cabeça constante e dor abdominal do lado direito.

Grau 3

Esse grau a doença evoluiu a esteato-hepatite, se não acompanhada e bem tratada, ela pode ocasionar um mal funcionamento do fígado e podendo até mesmo evoluir a cirrose. Condições estas que tornariam necessário um transplante do fígado.

A boa notícia é que essa doença é curável, e dependendo do grau em que se encontra, dificilmente precisa de medicação ou intervenção cirúrgica.

Uma dica importante para a prevenção do acúmulo de gordura no fígado é a prática regular de atividades físicas, como caminhada, corrida e andar de bicicleta ao menos 4 vezes por semana durante 30 e 60 minutos. Ou até mesmo mudanças em coisas simples, como trocar o elevador por escadas. Além do controle de doenças como diabetes e colesterol alto também é eficaz.

Tratamentos alternativos

Gordura no fígado: o que é, cuidados necessários e complicações.

Tratamentos alternativos como a acupuntura podem ser utilizados para o tratamento da gordura no fígado, já que aliviam os sintomas causados pela doença. Porém, é importante frisar que não se deve jamais substituir o tratamento indicado pelo médico, mas sim utilizá-los como complementos deste.

Uma outra sugestão e maneira de prevenção, é o consumo de remédios caseiros e plantas medicinais com propriedades que ajudam a digerir gorduras e reduzem os níveis de colesterol no sangue, tais como boldo, jaborandi, alcachofra e picão preto. E por último e não menos importante, a visita regular ao médico e check-up, são bem vindos tanto na prevenção, como no acompanhamento dessa e outras situações.

Por isso é importante salientar a importância de uma prevenção com alimentação balanceada e hábitos saudáveis.


Ajude a melhor ainda mais o site, avalie:

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (No Ratings Yet)
Loading...

Leave a Reply