Riscos da cirurgia bariátrica – Consequências no pré e pós cirúrgico

Os riscos envolvidos nos procedimentos bariátricos podem ser em diferentes âmbitos. Além dos problemas psicológicos envolvidos e da necessidade de um constante acompanhamento de um terapeuta no procedimento, uma vez que este pode demorar muito tempo, existem complicações que podem interferir na realização da cirurgia.

Riscos na realização da cirurgia bariátrica

Antes de realizar o procedimento é necessária uma avaliação completa, uma vez que o paciente pode possuir muitas doenças associadas à obesidade – sendo estas associadas às principais complicações do procedimento. Das principais complicações em detrimento de doenças associadas à obesidade, pode-se citar:

  • Embolia pulmonar (entupimento de um vaso sanguíneo do pulmão), que pode causar uma dor intensa e dificuldades em respirar;
  • Sangramento interno no local da operação;
  • Surgimento de fístulas (pequenas bolsas que se formam nos pontos internos da região operada);
  • Diarreia, fezes com sangue e vômito.

cirurgia bariátrica riscos

Além destes riscos, muitos problemas derivados da realização de um procedimento gástrico estão relacionados com a nutrição do paciente. O paciente que se submete a uma cirurgia bariátrica precisará de um acompanhamento nutricional pelo resto da vida, com o objetivo de receber orientações específicas de um especialista que auxiliem na elaboração de uma dieta adequada.

As cirurgias disabsortivas são as que mais possuem riscos no curto e longo prazo, sendo que quanto mais disabsortivo for o procedimento realizado, mais riscos estão envolvidos e as chances de surgirem complicações nutricionais. Entre as complicações, pode-se citar:

  • Deficiência de ferro;
  • Anemias;
  • Deficiência de vitamina B12;
  • Deficiência de vitamina D;
  • Desnutrição.

Além dos problemas relacionados com a ingestão de alimentos, que deverá ser controlada tanto antes de realizar a cirurgia quanto depois, existem ainda os procedimentos cirúrgicos realizados em consequência da cirurgia bariátrica.

Uma pessoa que se submete a um procedimento de cirurgia bariátrica precisa realizar diversas intervenções com o objetivo de ajustar o corpo ao novo peso. São diversas as cirurgias plásticas que podem ocorrer para que o excesso de pele seja retirado. Um procedimento de cirurgia plástica após uma gastroplastia só é indicado depois de dois anos da realização da cirurgia, uma vez que é necessário que a perda de peso esteja completamente estabilizada.

É por conta de seus riscos que as cirurgias bariátricas são utilizadas apenas como um último recurso para pessoa que possuem obesidade mórbida, extremamente obesas ou que possuem peso a mais e não conseguem perder peso com através da realização de exercícios físicos e de dietas.

Em que casos é recomendada

Este tipo de cirurgia só é indicado nos casos em que o paciente tem um IMC maior que 40, devendo este possuir uma idade entre 18 e 65 anos. Para pacientes com IMC acima de 35, o procedimento poderá ser solicitado somente nos casos em que haja histórico de problemas de saúde derivados do excesso de peso. Já mostramos aqui como calcular o IMC. 

O processo de recuperação desta cirurgia é longo e envolve, além de questões fisiológicas, fatores psicológicos e estéticos, devendo o paciente que vai realizar este procedimento estar plenamente consciente de todo o processo operatório e pós-operatório.

como é feita cirurgia bariátrica

Tipos de cirurgia bariátrica

A primeira coisa a se entender é que a gastroplastia, também conhecida como cirurgia bariátrica, possui três tipos básicos diferentes de realização do procedimento:

  • Restritivas – este tipo de cirurgia ocorre nos casos em que o procedimento envolve apenas a redução do tamanho do estomago e a perda de peso se dá pela redução de ingestão de alimentos. Entre as cirurgias deste tipo, pode-se citar a Banda Gástrica Ajustável, Gastroplastia Vertical com Bandagem ou Cirurgia de Mason e a Gastroplastia Vertical em “Sleeve”;
  • Disabsortivas – conhecidas como “desvios do intestino”, estas cirurgias desviam boa parte do caminho que originalmente o alimento iria passar, fazendo um circuito menor onde a absorção de nutrientes diminui, provocando a perda de peso. Nestes tipos de cirurgia, o paciente pode comer e as técnicas realizadas irão garantir que haja uma menor absorção dos nutrientes;
  • Mistas – neste tipo de cirurgia, ambas as técnicas (restritivas e disabsortivas) são utilizadas, havendo tanto a diminuição do estômago quanto o desvio do trânsito intestinal. No caso das cirurgias mistas, pode haver tanto uma predominância da técnica restritiva quanto da disabsortopatia, dependendo do caso.

Realizar uma cirurgia bariátrica não é uma decisão fácil e exige muita determinação da pessoa que irá se submeter ao procedimento. Entenda tudo sobre a realização da cirurgia bariátrica e os riscos envolvidos neste tipo de cirurgia. Veja quem pode fazer e como solicitar a bariátrica no SUS. 

Referências

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Cirurgia bariátrica. Disponível em <http://bvsms.saude.gov.br/bvs/dicas/124cir_bariatrica.html>

AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA. Boletim Brasileiro de Avaliação de Tecnologias em Saúde (2008). Disponível em <http://portal.anvisa.gov.br/documents/33884/412285/Boletim+Brasileiro+de+Avalia%C3%A7%C3%A3o+de+Tecnologias+em+Sa%C3%BAde+%28BRATS%29+n%C2%BA+5/e2a4d274-080b-4c01-a6fb-454f7aa173c4>


Ajude a melhor ainda mais o site, avalie:

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (No Ratings Yet)
Loading...

Leave a Reply