Alzheimer [GUIA COMPLETO] – O que é, sintomas, tratamentos e causas

O Alzheimer é uma doença degenerativa do sistema nervoso que atinge sobretudo os idosos, por isso, esse é um problema bastante relacionado a velhice.

Os portadores da doença começam a ter dificuldades em desenvolver pequenas tarefas do dia a dia, esquecem das coisas e das pessoas, fatos que ocorreram e principalmente, as memórias mais recentes.

Infelizmente, a doença não tem cura e a tendência é que ela se agrave conforme o tempo passa, pois afeta toda a capacidade de compreensão, linguagem e atenção. Desse modo, a pessoa acometida se torna muito dependente na realização de simples tarefas diárias.

Antigamente, não existiam muitos casos da doença, o motivo do aparecimento mal de Alzheimer nas últimas décadas  é justamente o aumento da expectativa de vida do homem, que inclusive deve ser maior nos próximos anos.

Alzheimer tratamento

Principais causas do Alzheimer

Portadores da doença apresentam mudanças nos neurônios e com o passar do tempo, essas células morrem. Com isso, o cérebro começa um processo de atrofiamento, ou seja, diminui e diversos problemas de memória são iniciados.

A realidade é que os médicos ainda não conhecem as causas do declínio cognitivo, embora haja muitos estudos científicos, os especialistas não chegaram ao um consenso comum.

O que se sabe é que o aumento da proteína beta-amiloide perto dos neurônios causam uma destruição das conexões entre as células.

Outra teoria tem a ver com a proteína Tau, seu aumento prejudica os neurônios. Apesar de não ter uma certeza sobre a causa exata da doença, existem fatores que podem desencadear esse processo de degeneração no cérebro. Alguns deles são:

  • Idade avançada  – Geralmente as pessoas diagnosticadas com a doença possuem acima de 65 anos de idade;
  • Genética – Se os pais ou avós tiveram Alzheimer existe um risco maior da pessoa desenvolver. Segundos os cientistas, 25% da doença no mundo é de origem hereditária;
  • Traumatismo craniano – Pessoas que sofreram traumatismo ou pancadas médias a graves na cabeça e que perderam a consciência ou a memória por mais de 30 minutos podem desenvolver Alzheimer no futuro. Os números mostram que muitos atletas e vítimas de acidentes de trânsito possuem maior risco de desenvolver a doença;
  • Doenças Cardiovasculares – A saúde do cérebro está ligada com a saúde do coração e dos vasos sanguíneos. Portanto, pessoas com pressão alta, colesterol alto, diabetes, obesidade e o tabagismo tem maior risco de desenvolver a doença.

Quais os sintomas do Alzheimer?

Geralmente, são os familiares e amigos que começam a perceber os primeiros sinais da doença, antes mesmo que a própria pessoa, isso acontece porque o problema é caracterizado por uma piora progressiva que pode ser dividida em 3 partes, confira:

Estágio Inicial

Muito difícil de perceber e praticamente impossível de assimilar os sinais com o mal de Alzheimer. Nessa fase, a pessoa começa a apresentar:

  • Perda de memória recente, em coisas que acabaram de acontecer;
  • Problemas na fala;
  • Perda de interesse em sair de casa, passear e fazer outras atividades, ou seja, fica bem desmotivada;
  • Mudanças de humor, pode ocorrer ansiedade e depressão;
  • Comportamento estranho, como se estivesse perdida no meio da família;
  • Não consegue identificar o dia da semana e nem a hora;
  • Age de forma mais agressiva do que está acostumada;

Estágio Intermediário

Com a progressão da doença, os sinais ficam bastante notáveis:

  • Não consegue mais viver sozinha, fica dependente;
  • A memória apresenta mais falhas e começa a não reconhecer as pessoas;
  • Não consegue fazer sua comida e nem se vestir, precisa de ajuda até para higiene pessoal;
  • Pode se perder com muita facilidade, tanto dentro como fora de casa;
  • Pode apresentar quadros de alucinações;
  • Muitas dificuldades na fala;

Estágio Avançado

Nessa etapa, é necessário cuidados mais específicos, pois a pessoa fica totalmente dependente:

  • Tem muitas dificuldades para se alimentar sozinha;
  • Não consegue mastigar, portanto, a comida deve ser mais líquida;
  • Fica na cama;
  • Não consegue se comunicar;
  • Se perde com bastante facilidade;
  • Não reconhece mais as pessoas e isso vai acontecer em praticamente todo o momento;
  • Tem dificuldades para se locomover sozinha;
  • Apresenta incontinência urinária e fecal, por isso, necessita usar fraldas geriátricas;
  • Delírios, a pessoa pode acreditar que está sendo roubada;

Com a redução da capacidade de discernimento, muitos portadores de Alzheimer são interditados, pois eles não conseguem entender as conseqüências dos seus atos.

Tratamento

Alzheimer

Quando a família e amigos próximos perceber algo de estranho no comportamento da pessoa e que indique algum sintoma de Alzheimer, deve procurar um Neurologista, Geriatra ou Clínica Geral para o diagnóstico.

Na realidade, a maioria dos casos da doença são detectados clinicamente, podem ser solicitados também exames de imagem do cérebro e exames de sangue.

O tratamento é baseado em medicamentos para retardar os efeitos da doença, mas infelizmente, não são capazes de curar e nem impedir a progressão da patologia.

Alguns pacientes também precisam de medicamentos para depressão, distúrbios do sono e calmantes para conter as mudanças de humor e agressividade.

Ou seja, o Alzheimer não tem cura, o que o tratamento propõe é uma alívio nos sintomas para que os pacientes tenham uma qualidade de vida melhor.

Os especialistas acreditam que a prevenção pode estar em uma vida mais ativa com mais exercícios físicos, alimentação equilibrada, controle de peso e atividades que exercitem a memória.


Ajude a melhor ainda mais o site, avalie:

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (No Ratings Yet)
Loading...

Leave a Reply